Entenda as tendências da tecnologia do ambiente escolar

Voltar para home

Tendências da tecnologia do ambiente escolar

Não existem mais dúvidas que estamos vivendo em um mundo completamente conectado. Essa “digitalização” já estava acontecendo há muitos anos, mas esse processo foi acelerado pelos últimos acontecimentos mundiais. Até mesmo setores mais tradicionais, que tinham dificuldade para aceitar a tecnologia, se viram forçados a procurarem novas alternativas. 

No ambiente escolar, por exemplo, algumas mudanças demoraram para acontecer. Em muitos casos, novas tecnologias na sala de aula eram vistas mais como uma inimigas do que como aliadas. Mas já faz algum tempo que as coisas estão mudando. Em muitas escolas, a tradicional lousa de giz foi substituída por uma versão digital, os cadernos e canetas viraram tablets e os livros ganharam versões on-line.

Também tivemos um “boom” de aplicativos educacionais, com diferentes funções. Existem os educativos, que trazem conteúdo interativo que estimulam os alunos e facilitam a aprendizagem. Outros apps valorizam e facilitam a interação de alunos, familiares, professores e escolas. Existem aplicativos que ainda permitem a aplicação de provas e exercícios, quase sempre com correções em tempo real.

A tecnologia já estava ganhando espaço no ambiente escolar, mas a verdade é que ninguém estava completamente pronto para o que estava por vir. Em 2020, com a pandemia mundial de COVID-19, muitas escolas do Brasil e do mundo foram obrigadas a paralisar as aulas presenciais. A única alternativa para continuar com o calendário escolar passou a ser a vídeo-aula. Foi ai que a sala de aula teve de ser substituída pelo Ensino Remoto.

Mas, independentemente disso, a modernização do ambiente escolar era inevitável. E não apenas isso… Ela é necessária. Implementar novas tecnologias permite envolver e estimular mais os estudantes e explorar novas estratégias de ensino. É fundamental que as instituições de ensino reconheçam o seu papel de preparar o aluno para o mundo moderno. Por isso, cada vez mais escolas passam a investir em novas metodologias digitais.

Confira abaixo algumas vantagens de utilizar ferramentas digitais no ensino da sua escola!

  • Alinhamento com o momento atual;
  • Aulas mais atraentes para os alunos;
  • Mais integração entre escola, alunos e professores;
  • Preparação para futuras carreiras;
  • Cria um diferencial competitivo para a escola.

A tecnologia no ambiente escolar também facilita muito a introdução de conceitos de aprendizagem adaptativa no dia a dia do aluno. Dessa forma, é muito mais fácil para o professor acompanhar o desempenho de cada aluno e trabalhar cada necessidade individualmente.

Tecnologia na sala de aula

A verdade é que o uso da tecnologia como ferramenta de ensino não é uma conceito tão novo. Primeiro vieram os televisores e as fitas VHS, levando filmes e vídeos para dentro da sala de aula. Depois vieram os retroprojetores, que permitiam apresentar slides para os alunos. Nas mãos de professores, esses instrumentos se mostraram poderosos recursos de ensino. Mas essa era basicamente toda a tecnologia que existia dentro da sala de aula.

Só que os tempos mudaram: agora, vivemos em um universo repletos de aparelhos eletrônicos e telinhas, e grande parte dos alunos anda com um supercomputador no bolso, o smartphone.

E não é só o aluno que está mais conectado. O professor também ganhou novos recursos. O quadro negro digital, por exemplo, permite ao professor apresentar o conteúdo da aula de uma maneira inovadora. Ele pode apresentar conteúdo multimídia e realizar anotações em tempo real, alterando completamente o dinamismo das aulas. Além disso, todas as anotações dos professores podem ser transferidas para os alunos com um clique.

No Colégio Poliedro de São José dos Campos, professores e alunos de algumas turmas receberam tablets da Apple já conectados com as lousas digitais da escola. Até 2022, a equipe de Tecnologia e Inovação pretende ter esse ecossistema digital 100% em funcionamento em todas as turmas do Ensino Fundamental da escola.

Tablets e telefones celulares também permitem fácil conexão à internet, onde o acesso à informação é basicamente infinito. Além disso, esse aparelhos permitem a instalação de aplicativos educacionais e o acesso ao material didático da escola em versão digitalizada.

Uma coisa é certa: essa é uma tendência que veio para ficar. Agora, cabe à escola tirar o melhor proveito da tecnologia disponível. É por isso que – ao invés de um obstáculo – esse novo rumo deve ser visto como uma oportunidade.

Plataformas digitais de Educação

Outro grande avanço tecnológico no ambiente escolar foi a adoção de Plataformas Digitais de Educação. Essas plataformas nada mais são do que aplicativos, softwares e redes internas que trazem novos recursos educacionais. Muitas vezes, são os três juntos.

Com tantos recursos disponíveis, os professores e coordenadores agora têm acesso à ferramentas poderosas de gestão pedagógica e acadêmica, enquanto os alunos podem encontrar acervos digitais, exercícios on-line, livros interativos e games educacionais.

Aqui é um dos pontos onde a aprendizagem adaptativa mais entra em prática. Essas plataformas permitem entender exatamente qual é a dificuldade do aluno dentro da matéria, para que essa possa ser trabalhada com exercícios e atividades específicas.

As escolas que utilizam o Sistema Poliedro têm à disposição o P+, um aplicativo que conta com livros digitais, avaliações e diversos outros recursos. Por meio de simulados, as escolas parceiras também conseguem identificar a dificuldade de cada um dos alunos, além de acompanhar o seu desempenho. O aplicativo ainda permite que a escola tenha um comunicação direta com a família do aluno, ao mesmo tempo que o aluno pode se comunicar com a escola e tirar dúvidas direto com o professor.

Graças as essas plataformas, ficou mais fácil migrar de um modelo presencial para o modelo de ensino remoto. Esse movimento foi muito importante em 2020, com o surto de Coronavirus, que forçou escolas de todos os países a paralisarem as aulas presenciais.

A tecnologia e o Ensino Remoto

O conceito de Ensino a Distância (EAD) não é nada novo. Diversos tipos de cursos já utilizavam esse formato de ensino, onde o aluno assiste às aulas diretamente da sua casa, seja pelo computador, celular ou televisão. Algumas universidades já ofereciam cursos de Ensino Superior a distância.

Com a necessidade do fechamento das escolas por conta da pandemia mundial de COVID-19, em 18 de março de 2020, o Ministério da Educação (MEC) se viu obrigado a autorizar a substituição de outras disciplinas presenciais por aulas a distância. Com essa autorização, atividades de EAD passaram a contar como dias letivos, mesmo para alunos dos Ensinos Infantil, Fundamental e Médio.

Foi a partir dai que plataformas digitais com videoaulas passaram a ter ainda mais importância para manter a rotina de estudos dos alunos. Por meio dessas plataformas, equipes pedagógicas puderam criar trilhas, com aulas e exercícios, que completam cargas horárias. Dessa forma, os alunos continuaram a ter acesso a todo o conteúdo programado para o resto do ano.

Neste momento, muitas escolas se viram em uma corrida para colocarem no ar algum tipo de programa que permitisse dar continuidade às aulas. Algumas delas já contavam com sistemas de EAD, outras, tiveram de encontrar soluções rápidas.

As escolas parceiras que utilizam o Sistema Poliedro têm à disposição, além do aplicativo P+, duas plataformas on-line de aprendizagem, que têm o importante papel de manter uma rotina de estudos.

A primeira delas é o ‘Home School Poliedro’. Essa é uma plataforma alimentada com videoaulas que seguem o planejamento anual do Sistema Poliedro. Esse conteúdo é aberto e pode ser acessado por alunos e professores de todas as escolas.

Já o Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) se assemelha mais a uma plataforma tradicional de Ensino Remoto, com aulas e exercícios que contam como carga horária para o ano letivo. Cada assunto é encaixado dentro de uma trilha pedagógica, composta por videoaulas teóricas, de exercícios e de resoluções, além de conteúdos complementares. São mais de 600 videoaulas disponíveis.

Dentro da ferramenta, os professores das escolas parceiras têm acesso a uma banco com mais de 50 mil questões que podem ser utilizadas durante as atividades. Por meio de um filtro simples, é possível encontrar questões de ENEM e dos vestibulares mais disputados, tudo com um curadoria editorial do Sistema Poliedro.

Com o recurso de Ciclos Avaliativos, o professor consegue entender a dificuldade de cada aluno, além de poder indicar exercícios para trabalhar no déficit do aluno. Isso acaba criando uma dinâmica de aprendizado bem diferente da tradicional, em que o professor simplesmente passava o conteúdo para uma sala inteira, sem identificar dificuldades individuais. Por meio de relatórios, o professor ainda consegue acompanhar, mesmo que totalmente a distância, o desempenho e perfil da turma.

Mas as vantagens deste tipo de sistema não se limitam apenas a esse período de isolamento social. Algumas dessas mudanças vão se perpetuar no ambiente escolar e prometem mudar para sempre a forma como se ensina e se aprende. 

Ferramentas digitais auxiliam muito no dia a dia acadêmico, orientando ao mesmo tempo professores e alunos, alterando assim a rotina pedagógica. Além disso, essas ferramentas estão disponíveis para os alunos 24 horas por dia, não apenas durante o período de aula.

Ensino híbrido. O futuro da educação?

O isolamento social não vai durar para sempre, mas a introdução da tecnologia nas escolas veio para ficar. Com isso, nasce a possibilidade de implementar conceitos de ensino híbrido no ambiente escolar.

Como o nome mesmo diz, esse é um formato que mescla o ensino presencial com o ensino remoto, extraindo o melhor dos dois mundos. Principalmente no ensino básico, a presença de um professor na sala de aula é essencial. Além disso, é na escola que os jovens aprendem importantes lições de vida, que vão muito além do que cai na prova.

Mas com a maior presença de tecnologia, é possível o professor fazer um acompanhamento mais próximo do desenvolvimento do aluno, podendo identificar dificuldades e indicar conteúdos complementares sem ter de interromper a dinâmica da sala de aula. Existe ainda a possibilidade da flexibilização da carga horária, podendo mesclar aulas presenciais com videoaulas.

Uma das grandes vantagens do ensino híbrido é que o aluno continua aprendendo mesmo quando ele não está na sala de aula, o que dá ainda mais força para o concepção de que a aprendizagem é um processo continuo, não pontual.

Como pode ser visto, essa transformação digital na educação já é uma realidade. A partir de agora, a adoção de tecnologia atrelada a educação estará cada vez mais presente nas escolas. Por isso, é necessário estar preparado para essas transformações!

Você já segue o Sistema Poliedro nas redes sociais? Acesse agora o Instagram, Facebook e LinkedIn e fique por dentro de todas as nossas ações.

Venha fazer parte do Sistema de Ensino Poliedro.

Seja Uma Escola Parceira

Voltar para home

ASSINE NOSSO BLOG
Que tal receber conteúdos e artigos sobre educação, planejamento e gestão escolar em seu e-mail?